30 de julho de 2006

O POETA CASTRO ALVES: DEPRESSÃO E GANGRENA

 Castro Alves em 1865, no seu primeiro ano da faculdade de Direito

CASTRO ALVES, THE POET: DEPRESSION AND GANGRENE 

[ELVIO ARMANDO TUOTO: Autor deste artigo]
[NÃO AUTORIZO CÓPIA]
Copyright © Elvio Armando Tuoto, 2006-2013

O grande poeta brasileiro Antônio Frederico de Castro Alves (1847-1871) foi portador de tuberculose pulmonar, a qual o acompanhou até o fim dos seus dias.

Após o término de seu romance com a atriz portuguesa Eugênia Câmara, em agosto de 1868, apresentou um provável quadro depressivo. Refere-se que não tinha disposição para ler, nem escrever e fumava intensamente para tentar esquecer a amada.

Em 11 de novembro de 1868, na cidade de São Paulo, o poeta passava o dia no bairro do Brás. À tarde, após sair para caçar, a espingarda a tira-colo disparou acidentalmente atingindo-lhe o calcanhar do pé esquerdo, o qual ficou impregnado com uma carga de chumbo.

Foi socorrido pelo médico e amigo baiano, Lopes dos Anjos e pelo cirurgião Candido Borges Monteiro, Barão de Itaúna, presidente da Província. Apresentou gangrena do pé esquerdo, além de recidiva da tuberculose pulmonar.

Seis meses depois (1869), no Rio de Janeiro, o cirurgião Mateus de Andrade e seu assistente, Andrade Pertence realizaram intervenções parciais no pé esquerdo de Castro Alves para retirar grãos de chumbo e fragmentos ósseos. Constataram "cárie" dos ossos que ficaram fraturados e optaram pela amputação na altura do terço inferior da perna esquerda.

Castro Alves suportou corajosamente a cirurgia, realizada sem anestesia, pois a cloroformização foi considerada muito arriscada devido ao quadro de tuberculose ativa. Foram retirados 36 grãos de chumbo encravados no pé do poeta, o qual recuperou-se da amputação, chegando a usar uma prótese de madeira no pé, apoiado por muletas./eat


COMO CITAR ESTE ARTIGO -- HOW TO CITE THIS ARTICLE:
Tuoto, E. A. "O Poeta Castro Alves: Gangrena e Amputação." In: História da Medicina by Dr Elvio A Tuoto (Internet). Brasil, 2006. Consulta em [dia, mês, ano]. Disponível em:
http://historyofmedicine.blogspot.com/2006/07/o-poeta-castro-alves-gangrena-e.html

[Avise-me quando este artigo for citado -- Alert me when this article is cited]  


REFERÊNCIA:
1- Farina DC (1981): Medicina no Planalto de Piratininga. São Paulo./eat

Copyright © Elvio Armando Tuoto 2006-2013


[PARA ADQUIRIR DIREITOS DE REPRODUÇÃO DESTE ARTIGO, ENVIE E-MAIL]


[ELVIO ARMANDO TUOTO: Autor deste artigo]
[NÃO AUTORIZO CÓPIA (TOTAL OU PARCIAL) DESTE ARTIGO]
[RECOMENDO CRIAR UM LINK PARA ESTE ARTIGO]
[POSTAGEM MONITORADA CONTRA CÓPIA PELO COPYSCAPE®] -j
.

3 comentários:

doc tuoto disse...

A Escola de Cirurgia da Bahia foi criada por solicitação de conceituados profissionais baianos, entre eles, o médico Antônio José Alves, pai do poeta Castro Alves.

doc tuoto disse...

"Ao tempo de Dom Pedro II, na Rua Silva Manuel (atual André Cavalcanti) ficava o consultório do Dr. Mateus de Andrade, médico que, em 1869, neste local e com a ajuda de seu assistente, Dr. Andrade Pertence operou a perna do poeta Castro Alves. Em 1870,transferiu-se para a Rua Mata-Cavalo definitivamente, no hospital da Ordem do Carmo, fundado em 1773." (Fonte: www.areliquia.com.br/
Artigos%20Anteriores/56RRiach.htm)

doc tuoto disse...

Antônio José Alves, pai de Castro Alves, graduou-se na Faculdade de Medicina da Bahia (denominação atual), onde depois foi professor, sendo o introdutor da microscopia no curso de medicina.